sábado, 15 de maio de 2010

Vantagens do credito consignado pensionista aposentado inss

O crédito consignado é uma modalidade de empréstimo pessoal, que da ao trabalhador acesso a crédito bem mais barato que o empréstimo pessoal, cheque especial ou cartão de crédito. Ele está disponível para Aposentados e pensionistas, Militares das Forças Armadas, Funcionários de empresas privadas, Servidores Públicos em geral.


Após o crédito ser liberado ao próprio cliente, o pagamento do empréstimo é efetuado através de parcelas mensais debitadas automaticamente no contracheque ou no benefício, de acordo com o prazo contratado.

Veja abaixo a lista de vantagens:

· O Crédito é imediato;

· Tem até 60 meses para pagar;

· Sem consulta ao SPC/Serasa;

· Sem burocracia dispensa avalista;

· Desconto em folha de pagamento ou no Benefício;

· Rapidez e agilidade na concessão dos empréstimos;

· Margem consignável de 30% a 40% da renda mensal;

· Taxas a partir de 1,50% ao mês;

· Empréstimos a partir de R$ 300,00 reais e

máximo negociado conforme existência de Margem consignável e/ou limite estabelecido no convênio;

· Parcelas Pré-Fixadas;

· Taxas de juros e Prazos flexíveis;

Aposentados pensionista teram que fazer cadastro no siapenet

Os aposentados e pensionistas da União que quiserem fazer empréstimos consignados, para desconto na folha de pagamento, vão ter que cadastrar uma senha no Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siapenet), a partir de 1º de junho, segundo anunciou nesta terça-feira a Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão.


De acordo com a secretária adjunta do órgão, Maria do Socorro Mendes, a mudança garantirá o comprometimento máximo de 30% dos recebimentos mensais dos segurados, uma vez que os bancos vão ter que acessar o sistema para liberar os empréstimos. A senha só será concedida pelo Siapenet se os descontos feitos no contracheque indicarem que o segurado está em condições de assumir a dívida e, segundo ela, isso reduzirá a inadimplência permitindo, em contrapartida, a redução futura dos juros que são cobrados pelo dinheiro emprestado.

A Secretaria de Recursos Humanos vai oferecer um canal gratuito para que os beneficiários peçam sua senha. A ligação será gratuita. Cada senha terá validade para apenas um empréstimo, permitindo que outra contratação só seja feita quando a conta for amortizada.

Segundo Maria do Socorro, atualmente, o segurado procura um banco "que faz o empréstimo no escuro, apenas consultando o contracheque". Depois disso, pode acontecer do segurado assumir outro comprometimento, como fazer um seguro, e ficar sem condições de arcar com a dívida. Além disso, aposentados e pensionistas são alvo de assédio de instituições que querem emprestar dinheiro. O servidor atualmente, segundo ela, fica sem noção do término do seu empréstimo, o que também será corrigido com a implantação do novo controle.
http://www.siapenet.gov.br/Portal/Servico/Apresentacao.asp

emprestimo consignado RJ simulação emprestimo consignado

Rio - Servidores ativos, inativos e pensionistas do Estado do Rio poderão fazer, a partir de setembro, simulação de empréstimo consignado em casa. A consulta do valor e da prestação será pela Internet, e o interessado poderá comparar todas as taxas de juros cobradas pelos 40 bancos cadastrados. “Com o sistema, o servidor não precisa de intermediários e nem do banco para fazer a simulação do empréstimo. Vamos dar mais comodidade. Ele acessa a informação de forma independente”, explica o secretário estadual de Planejamento e Gestão, Sérgio Ruy Barbosa.

Ele também acredita que pode haver redução nas taxas de juros, com o aumento da concorrência. No estado, o servidor pode contrair empréstimo em até 60 parcelas. Em média, as taxas cobradas são de 2,20% a 2,50% ao mês, sendo o teto de 2,80%. Atualmente, existem 800 mil contratos de empréstimo consignado em vigor. Segundo a secretaria, 45% do funcionalismo estadual já utilizou crédito com desconto em folha.

Pelo novo sistema, será possível consultar a margem consignável e saber qual é o banco que cobra as taxas mais baratas, além de verificar o prazo diferenciado por banco. “Ele poderá saber qual empréstimo cabe na margem consignável. Mas o negócio ainda deverá ser fechado no banco”, esclarece Sérgio Ruy Barbosa.

A simulação será realizada por meio de senha. A Seplag ainda estuda como será a entrega do código de segurança aos servidores. Uma das alternativas é enviar a senha via correspondência para os inativos. Quem tiver em atividade deverá retirá-la em seu Departamento de Recursos Humanos. A validação será pela Internet.

DE OLHO NA MARGEM
Para o secretário, a operação terá mais garantias: “Quando o servidor der autorização ao banco para utilizar a margem dele, isso será feito instantaneamente, para que essa margem não venha cair depois. Para que esse espaço não seja ocupado por outro banco que conseguir entrar nessa brecha”.

CONTRA FRAUDES
“Tentamos fechar todas as frestas imagináveis, mas isso é assim: a tecnologia avança, tem gente querendo achar uma brecha e o nosso caminho é ir tapando. Inclusive, o convênio faculta a Associação Brasileira de Bancos a fazer auditoria no sistema anualmente, para detectar problema”, diz o secretário.


MAIS PRESERVAÇÃO

A soma das margens dos servidores para tomarem empréstimos representa o potencial que eles têm enquanto mercado a ser explorado pelos bancos. “São informações sigilosas. Às vezes, nós temos problemas na preservação desse sigilo. Isso será muito mais preservado”, promete o secretário.

Emprestimo consignado instrucao normativa 28 previdencia social

Nesta página está disponível a consulta à Instrução Normativa 28, que concentra todas as normas referentes ao empréstimo consignado para aposentados e pensionistas do INSS. É possível, ainda, a consulta às taxas de juros oferecidas por todas as instituições financeiras conveniadas com o INSS, para operar o crédito consignado. Atualmente, as taxas máximas são de 2,5% ao mês, para o empréstimo, e 3,5% ao mês, para o cartão consignado. O beneficiário deverá ficar atento, pois a taxa contempla todos os custos da operação de empréstimo ou cartão de crédito, ou seja, o custo efetivo.


Entre as normas previstas na IN 28 está a obrigatoriedade de as instituições financeiras emitirem, em 48 horas, boleto ou documento de pagamento detalhado, quando o beneficiário quiser quitar antecipadamente suas operações de empréstimo ou com cartão de crédito. O boleto ou documento de pagamento informará o valor total do empréstimo, o desconto para o pagamento antecipado e o valor líquido a pagar. A instituição financeira terá esse mesmo prazo para excluir o lançamento de desconto no benefício.

As instituições também devem informar previamente, ao titular do benefício, o valor total financiado, a taxa mensal e anual de juros, acréscimos remuneratórios, moratórios e tributários, o valor, número e periodicidade das prestações e a soma total a pagar por empréstimo. Ao assinar o contrato, o beneficiário deverá exigir sua via. Empréstimos e cartão de crédito são operações diferentes, portanto exigem contratos específicos. Ao contratar o negócio, o beneficiário deverá apresentar, no mínimo, o documento de identidade ou carteira nacional de habilitação, ambos com fotografia, e o CPF.

É vedada a contratação de empréstimos por telefone e também a cobrança da Taxa de Abertura de Crédito (TAC) ou qualquer outra taxa ou impostos. Para o cartão de crédito é permitida a cobrança de uma taxa única de emissão no valor de R$ 15,00, com pagamento dividido em até três vezes. O banco não poderá celebrar contratos com prazo de carência, ou seja, prazo superior a 30 dias para o início dos descontos.

A margem consignável, que é o valor máximo da renda a ser comprometida, não pode ultrapassar 30% do valor da aposentadoria ou pensão recebida pelo beneficiário, dividida da seguinte forma: 20% da renda para empréstimos consignados e 10% exclusivamente para o cartão de crédito. O número máximo de parcelas é de 60 meses.

O beneficiário não está obrigado a obter empréstimo no banco em que recebe o pagamento, podendo optar pela instituição financeira que oferece menor taxa de juros. Mas para garantir a segurança da operação, o valor do empréstimo terá que ser creditado diretamente na conta em que a pessoa recebe o benefício. Caso o pagamento de benefícios seja na modalidade cartão magnético, o depósito deverá ser feito em conta corrente, na poupança da qual o beneficiário também seja titular ou por meio de ordem de pagamento depositada preferencialmente na agência ou banco em que o segurado recebe do INSS. O depósito não poderá ser efetuado em conta de terceiros.

Também para evitar irregularidades, não é possível para os bancos fazer operações com beneficiários de outros estados: os empréstimos deverão obrigatoriamente ser contratados no estado em que o aposentado ou pensionista reside e recebe o benefício.

O beneficiário que, a qualquer momento, se sentir prejudicado por operações irregulares ou que identificar descumprimento do contrato por parte da instituição financeira ou de normas estabelecidas pela IN 28, deverá registrar sua reclamação no INSS, por meio do sítio eletrônico (www.previdencia.gov.br) ou pela Central 135. Após o recebimento e análise, a Ouvidoria Geral da Previdência Social encaminhará as reclamações para a Diretoria de Benefícios do INSS.

A partir do recebimento da reclamação pela Diretoria de Benefícios, as instituições financeiras terão 10 dias úteis para responder. Em caso de irregularidade ou desconto indevido, terão dois dias úteis para devolver ao beneficiário a quantia descontada. Os valores deverão ser corrigidos com base na variação da taxa SELIC.

As instituições financeiras são obrigadas a manter a documentação comprobatória do empréstimo ou do cartão de crédito por cinco anos após a quitação do empréstimo.

Para evitar irregularidades, a Previdência alerta que o aposentado deve se precaver, jamais oferecendo seu cartão ou a senha do banco a terceiros. Somente deve contratar empréstimo após pesquisar as taxas, consultando as instituições conveniadas com o INSS. Em caso de dúvida, verificar as regras informadas na Instrução Normativa 28 ou ligar para a Central 135.

O INSS também orienta aos aposentados e pensionistas que não passem dados pessoais caso alguém apareça em sua casa prometendo acelerar a liberação do empréstimo e pedindo, para isso, o cartão, a senha do banco ou outros documentos. A melhor forma de obter um empréstimo é procurar diretamente a instituição financeira de sua preferência. O INSS nunca oferece crédito e nunca indica instituições financeiras. A decisão de contratar empréstimo pessoal e cartão de crédito é do beneficiário. O INSS somente desconta no valor do benefício o valor que o beneficiário expressamente autorizou.